Deputados criticam o juiz Sergio Moro

Agência Assembleia.

Os deputados Othelino Neto (PCdoB), Zé Inácio (PT), Rafael Leitoa (PDT), Raimundo Cutrim (PCdoB) e Francisco Primo (PT) criticaram, na sessão desta quinta-feira (17), o juiz Sérgio Moro, responsável pela Operação Lava Jato na primeira instância, por ter retirado o sigilo de gravações telefônicas do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Othelino Neto, vice-presidente da Assembleia Legislativa, criticou o juiz Sergio Moro por ter determinado a condução coercitiva do ex-presidente Lula, e disse que o juiz chegou ao limite de expor nacionalmente uma fala do ex-presidente Lula com a presidente da República, Dilma Rousseff.

“Isto não fere a Presidente, isto não fere o PT, isto fere a instituição da Presidência da República, que é preciso ser preservada, é preciso ser respeitada. E o que o juiz fez ontem, já não sendo mais o caso de competência dele, foi uma agressão que mais pareceu uma ação política, do que uma ação de um magistrado”, assinalou Othelino.

O deputado Raimundo Cutrim criticou o juiz Sérgio Moro, afirmando que o magistrado criou um problema de instabilidade muito grande para o País. “O juiz Moro está fazendo um excelente trabalho de investigação, juntamente com o Ministério Público e a Polícia Federal e estamos todos acompanhando e torcendo para que se esclareçam todos esses fatos. Agora o que foi feito agora foi gravíssimo, divulgar a fala da Presidente Dilma, e aqui estamos falando da Presidente, da representante do país e ele está criando uma instabilidade política muito grande para o Brasil”, declarou Raimundo Cutrim.

A deputada Francisca Primo concordou com as declarações do deputado Raimundo Cutrim e frisou que foi “um absurdo a divulgação da fala da Presidente com o ex-presidente Lula. Eu acho que nós estamos muito vulneráveis nesse momento. E eu acho que tem que ser tomada alguma providência”.

No mesmo tom, o deputado Rafael Leitoa afirmou que o juiz Sérgio Moro extrapolou todos os limites legais e constitucionais, ao divulgar o teor da gravação telefônica do ex-presidente Lula e da presidente Dilma. “Não podemos assistir à destituição da Constituição Federal que custou o sangue de muitos brasileiros. Vamos respeitar as Instituições Democráticas de Direito, vamos respeitar o Estado Democrático de Direito. Nós não podemos permitir que atitudes como essas insuflem ainda mais as massas nas ruas, que muitas vezes são feitas de massas de manobras”, enfatizou Rafael Leitoa.

O deputado Zé Inácio, por sua vez, disse que a crise política nacional chegou a um limite. “Chegou a um limite não só de aceitação do absurdo cometido por ato de um juiz que tem que cumprir a Lei, mas porque estamos à beira de sepultar a nossa Constituição Federal, o Estado Democrático de Direito, o reconhecimento às nossas instituições, porque agora entramos no vale tudo. E o vale tudo prevalece quando há um total desrespeito às Leis”.

Em seu discurso, Zé Inácio frisou que, não só como deputado, não só como advogado, mas também como cidadão, sente-se no dever de clamar para que a Ordem dos Advogados do Brasil tome uma providência em defesa do Estado Democrático de Direito.  “Que a Ordem dos Advogados Seccional do Maranhão também venha a público se manifestar em defesa da legalidade, em defesa do Estado Democrático de Direito, porque somos todos nós cidadãos que, com esse ato arbitrário do juiz Sérgio Moro, estamos com as nossas garantias constitucionais em xeque”, assinalou Zé Inácio.

Anúncios
Esse post foi publicado em política. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s